Saúde e Bem-Estar

Pense duas vezes antes de julgar um gordinho, viu?

Ahaaaammm, você é do tipo que vê um gordinho (a) e logo critica (mesmo que em pensamento)?

Pode assumir… eu mesma já fiz muito isso na minha vida. Mas graças a Deus e as minhas experiências, parei!

É natural associar a obesidade com desleixo, principalmente hoje em dia onde a correria está tomando conta da vida das pessoas. A falta de tempo para programar a alimentação e realizar a prática de exercícios físicos é um dos principais motivos para vermos tantos obesos pelas ruas.

Mas perai! E aquele que faz “tudo como tem que ser feito” e é gordinho?
Problemas de saúde existem, pessoas! Vários fatores podem causar a obesidade… e muitas vezes a pessoa não sabe o que está desencadeando isso e consequentemente não consegue entender o motivo que não o leva a perder peso.
Eu mesma me enquadro um pouco nisso, pois apesar de não ser obesa, tenho problemas de saúde que não me deixam “queimar as gordurinhas” de forma fácil, mesmo dietando e fazendo exercício físico regular.

E pensando em mim mesma que resolvi fazer esse post para vocês, pois além de julgar de forma precipitada, você pode acarretar problemas psicológicos nessa pessoa, se ela for de seu convívio, por exemplo.
Digamos que a pessoa não seja obesa por compulsão alimentar e sofre o famoso “buylling” dentro de casa. Ela pode acabar desenvolvendo um quadro de depressão e passar a comer como forma de tentar se sentir bem (comer nos dá sensação de prazer). Aí sim, você terá em casa um gordinho / obeso depressivo e com compulsão alimentar, sendo que se o seu comportamento perante a ele fosse diferente, seria muito mais simples de tratar.

obesidade-balanca

Muitos não sabem, mas a obesidade é multifatorial, ou seja, não acontece só porque a pessoa se alimenta em excesso. A origem pode ser uma combinação de fatores como a genética, o metabolismo, neuroendócrinos, dietéticos, sociais, familiares e psicológicos.
Então né: peralá no julgamento!!!

Se for para conversar sobre o assunto, que seja para ajudar e não para atrapalhar.
E se o caso for desleixo, aconselho a tentar ajudar sim, caso contrário (tem gente que se recusa enxergar o grau do problema), a própria saúde dará as caras de forma negativa mais cedo ou mais tarde, e a pessoa vai cair em si (mas isso não é o melhor caminho).
De qualquer forma, todo obeso deve sempre consultar o médico, pois infelizmente a obesidade desencadeia doenças crônicas como hipertensão, diabetes, colesterol elevado, doenças do coração, infecções de pele, úlceras, entre outras. E é bom verificar se está tudo certinho, pois sim, dependendo do grau de obesidade a pessoa pode estar saudável ainda.

Em resumo, esse post é um alerta para pessoas preconceituosas e desinformadas perante pessoas obesas em nossa sociedade.
Se for pra falar algo, ajude! Se não, fique quieto.

Não se esqueça de todo ser humano é puro sentimento e os direitos são iguais.
Se você pode ser feliz, todos podem!

E só pra encerrar, vai uma foto de uma gordinha liiiinda e feliz! 💋💋💋
gordinho-modelo

Me siga nas redes sociais:
FacebookInstagram ∾ PinterestGoogle+

Beeeijos da Bru 💋

COMPARTILHE esse post:

4 Comentários

  1. Blog da Ana

    12 de janeiro de 2016 at 12:54 pm

    Bru, nunca pensei isso dos gordinhos/as… Sempre fui magrela e isso me incomodou MUITO! Comia e nada! Nenhuma grama! E como aquilo me chateava muito eu nuca julguei o gordinho/a. A gente não é gordo ou magro porque quer.. até pode ser, mas também tem a questão genética, o metabolismo, neuroendócrinos, dietéticos, sociais, familiares e psicológicos, como você disse. Eu sei é que tanto em um caso quanto no outro, procurar o médico, descobrir as causas para o excesso ou a carência de peso é o melhor caminho!
    Beijos!!!

    1. Bruna Bussular

      12 de janeiro de 2016 at 7:54 pm

      Justamente Ana, os casos se comparam sim na questão do julgamento.
      Espero com esse post ajudar as pessoas a pensarem 2x antes de pensar algo de alguém.
      Nem todo mundo expõe a vida em livro aberto e muitas vezes a gente não tem como saber.
      Bjs!

  2. Bárbara

    6 de janeiro de 2016 at 1:00 am

    Af escrevi um comentário gigante e deu problema ):
    Mas resumindo, concordo totalmente com o que escreveu. A mãe de uma amiga é nutricionista, e ela sempre explicou isso. Vai muito além do qe imaginamos. Parabéns pela post.

    Beijos, Love is Colorful

    1. Bruna Bussular

      6 de janeiro de 2016 at 1:49 pm

      Pois é Bah!
      Espero que abra mais um tiquinho a mente das pessoas. Porque ela só vêem o comum, mas hoje em dia o comum já se modificou, ampliou suas margens e pode ser tanta coisa que é melhor não julgar e sim tentar ajudar, seja como for.

      beeeeijos!

Comente aqui! Vamos conversar ;)